InícioNotíciasPolíticaPrefeito fala sobre rescisão com a empresa Jundiá

Prefeito fala sobre rescisão com a empresa Jundiá

Mário Tassinari disse ainda que pretende estudar uma maneira de implantar no município o transporte coletivo gratuito

Política
Prefeito fala sobre rescisão com a empresa Jundiá

Na quinta-feira (09), um comunicado da Prefeitura Municipal de Itapeva pegou muitas pessoas de surpresa, de acordo com a nota da Assessoria de Imprensa do Paço Municipal, o contrato com a empresa de transporte coletivo Jundiá seria rescindido.

Na sexta-feira (10), em coletiva de imprensa que contou com a presença do Jornal Ita News, FM Cristal e TV Tem, o prefeito Mário Tassinari falou sobre a decisão, mas evitou entrar em detalhes técnicos.

Mário disse que a empresa cometeu algumas irregularidades que estão sendo agora analisadas pelo jurídico da prefeitura, disse ainda que o contrato firmado não é favorável à população.

Como é de conhecimento público o contrato com a empresa representa uma das maiores despesas do município.

Ao ser questionado sobre as consequências dessa rescisão, Mário tratou de tranquilizar a população, afirmando que o serviço de transporte coletivo será mantido. O prefeito em exercício disse ainda que a empresa teria um prazo para apresentar a sua defesa e que há ainda tempo para que, se necessário, se faça um novo processo de licitação.

Durante a entrevista Mário revelou ainda que sonha em implantar o transporte coletivo gratuito em Itapeva, seguindo o exemplo de outros municípios e que deverá junto ao secretariado estudar a possibilidade do município aderir esse modelo.

O que diz a Jundiá

Em nota ao portal de notícia do G1, a Jundiá Transportadora Turística informou que foi surpreendida pela notificação da prefeitura sobre a rescisão e afirmou que possui regularidade fiscal com o município e oferece serviço adequado aos moradores.

Disse que não concorda com a rescisão e que vai apresentar recurso administrativo sobre a notificação, além de medidas judiciais cabíveis.

“Daremos ciência do ocorrido ao Ministério Público e ao Tribunal de Contas para que tomem providências para que o plano engendrado de realizar contratação emergencial ilegal com algum concorrente nosso seja coibido”, diz um trecho da nota.

A empresa também afirmou que vai continuar a prestar os serviços como previsto no contrato, até 29 de julho de 2022.